quinta-feira, 3 de junho de 2010

que filiar o outro é toda mãe que eu sou
mas meu cordão d'umbigo rompe antes dos mês
a coisa toda do meu amor vai d'embora
só fica eu mais as crianças

no dia que os olhos do outro se acorde
lá estou eu de fora daqueles ventrão todo
e hei de tá fora pra mor de olhar ni mim meus santo
mas daquela força imensã

se desce das corredeira não que vem chuva:
não foi nem chuva veio
vai banhar comigo nas cachoeira
veio ribeirão de água e levou nós

mas três avemaria e passa o pai
e se passar, meus santo que me acode pra eu não querer filho dele nenhum

2 comentários: